31 de ago de 2009

SUNSET RIDERS

Categories:

23





Ah, Velho Oeste... Quantas pessoas não gostariam de viver nessa época de tiros, mocinhas indefesas, caubóis, cavalos, chapéus e... Tiros coloridos?! Sim, Sunset Riders, um game muito lembrado por aqueles que já tiveram um Mega Drive e Super Nintendo ,visto que esse foi um jogo anteriormente lançado no Arcade, e depois, adaptado para os consoles da Nintendo e da Sega. Infelizmentena versão do Mega Drive, houve muitos cortes, como fases diferentes e dois personagens selecionáveis a menos do que a do SNES.
Produzido pela antes-toda-poderosa Konami, estaria mentindo se disesse que ele não lembra o jogo "Contra". Mas caramba, ele lembra, e até demais. Dificuldade exagerada, dificuldade mega-hiper nos mestres, e os já citados tiros coloridos. Então, Sunset Riders é um "Contra", mas com caubóis mercenários meio afeminados de roupas coloridas beirando o carnavalesco no lugar de heróis bombadões, índios e um biba como mestres, e trens e montanhas no lugar de cenários destruídos.


O jogo é linear, e segue o básico clichê de 98% dos games do gênero. São oito fases, cada uma, com um chefe no final. E nas fases 2 e 7, você pode controlar um cavalo. Legal, né? Mais ou menos. Essas partes do cavalo não são tão divertidas quanto deveriam, mas pelo menos, botam um pouco de originalidade no meio de tantos tiroteios a pé. Há também duas fases "bônus": o "atire nos inimigos". Basicamente, é aquela brincadeirinha de circo ou parque de diversões (sim, parque de diversões não é só montanha-russa), na qual você deve atirar nas placas, e tal. Inacreditavelmente, isso é divertido pra caramba, principalmente quando você está jogando com um amigo (esqueci de mencionar. Se você não sabia que era possível jogar cooperativamente, está sabendo agora).


As fases normais seguem o esquema básico: ande, atire, desvie, e enfrente o chefe. Porém, há algumas diferenças bem marcantes: os inimigos não são infinitos, é possível entrar em algumas casas para ganhar itens, pontos e power-ups (que são genéricos ao extremo, e desnecessários. Há apenas dois power-ups, que são representados por uma estrela, aquela que o xerife usa) e só existe uma única arma, a que o personagem está usando. Porém, isso não chega a ser um problema. O legal é que em cada fase, há algo diferente. Desde pedras rolando na montanha, até os memoráveis bois que surgem no primeiro estágio e você deve permanecer sobre eles.


Pula, desgraçado!


Os seus únicos comandos são: andar, pular, atirar e rastejar. Jogabilidade simples, aparentemente. Nem tanto. Andar é fácil. Atirar é simples. Rastejar também. Importante lembrar que a jogabilidade é mais lenta, cadenciada, tanto para você, quanto para os inimigos. O problema é o ato de pular: haja dificuldade nisso. O comando é meio duro, difícil, sei lá. E como você, às vezes, tem que segurar em cordas ou passar para a parte superior das casas, deve-se segurar o direcional para cima e apertar o botão de pulo. O duro é que na maioria das vezes, NÃO DÁ CERTO. E isso é um problemão no último chefe, isso porque a tática para vencê-lo e ficar se movimentando toda hora para cima, para baixo, para cima, para baixo...

Não poderia deixar de comentar a dificuldade. Êita, joguinho difícil! O nível Easy é até suportável, mas o Normal... E o Hard, então? A dificuldade aumenta mais por conta da velocidade dos disparos do inimigo, do que por qualquer outra coisa. Porém, o aumento da dificuldade só é totalmente percebida nos chefes, que são exageradamente difíceis. O último, que é o biba master, um dos caras mais estranhos que se auto-denominam "chefões finais" que já conheci, é o pesadelo em pessoa, mesmo usando de uma tática que pode ser vista no YouTube.


E quer saber o mais legal? Ao término do game, você deverá jogá-lo novamente, com os mesmos pontos (representados por dinheiro aqui), power-ups e vidas. O legal: ela está numa dificuldade superior. Se fechou no Normal, é hora de enfrentar uma espécie de Normal 2. Se fechou no Hard... Bem, prepare-se para o Hard 2. Não é habilitado um final diferente, um personagem novo, nem nada. Mas que é interessante, isso ninguém pode negar.


Pena que dura tão rápido. As oito fáceis são curtas demais, não há extras. Ao menos, Sunset Riders é tão divertido, que te dá vontade de jogá-lo novamente, e novamente, . e estou com uma surpreendente vontade de jogá-lo novamente, agora.


Os gráficos estão acima da média. Bonitinhos, são mais cartunescos do que realistas, vide as expressões faciais. Não é nada surpreendente, mas é bonito, e consegue captar com perfeição o clima de Velho Oeste. Os inimigos poderiam ser mais variados (não há mais de cinco tipos diferentes de vilões normais), e os cenários também, mas aí, já seria pedir demais. Pelo menos, os chefes são bem variados, e os sprites, na maioria, ótimos. E a animação inicial também é legalzinha, por mais que seja inferior ao da versão Arcade. Mas novamente, JÁ É PEDIR DEMAIS.


A trilha sonora é ótima, mas tem dois graves problemas: as músicas são poucas, e em certos trechos, algumas parecem tudo, menos Velho Oeste. Mas são poucos os trechos que trazem esse problema, e no geral, dá para entrar facilmente no clima "Clint Eastwoodiano". Os efeitos sonoros são "suportáveis", nada incrível ou extraordinário. Mas legal mesmo é a dublagem: no início e no final do confronto com os chefes, é possível escutar eles falando uma frase de efeito. Divertido pra caramba, e algumas frases se tornaram quase históricas para aqueles que amam esse game.



Atirar é legal


Sunset Riders está longe de ser um game obrigatório. É um ótimo jogo, com bons gráficos e sons, jogabilidade razoável, e uma diversão elevadíssima. É também, um dos melhores jogos com temática Velho Oeste de todos os tempos. Mas só fica nisso. Se não fosse pela temática, pela produtora e pela leve semelhança com a clássica série Contra
Muuito divertido...fica aí a minha recomendação.

Compartilhe este artigo

Postagens relacionadas

7 Comentários para SUNSET RIDERS

31/08/2009 23:39

eita.. você não vai acreditar, mas eu estava escrevendo sobre esse jogo para postar aqui O.O coincidencia XDD

enfim.. o jogo é ótimo.. mas sou suspeito pra falar, já que adoro jogos side scrolling beat'n up

01/09/2009 01:13

noooooossa muito louco, eu jogo até hoje... bons tempos da Konami =(

ainda jogo esse e o TMNT: Turtles In Time *-*

mas esse era show demais, ainda lembro dakela voz feia do gordão: It's Time To Pay! uhauauauhua!!!

e o bonus que vc comentou era em primeira pessoa né? dava maior briga quando jogavamos de 2! =P

ótimo post, abraços

01/09/2009 01:39

Eu joguei poucas vezes esse game, algumas vezes em Fliperama, outras em Super Nintendo, mas não curtia muito ele. Basicamente pelos gráficos.

Não sei se é bem o mesmo estilo, mas como lembra um pouco, devo dizer que preferia os jogos da Tartarugas Ninja ou, principalmente, dos Power Rangers.

Mas olhando suas imagens hoje, pôxa! Me lembrei de De Volta Para o Futuro 3! Bwahauahauahua!

01/09/2009 08:21

macgaren....hehe eu acredito sim cara....que grande coincidencia...hehe

kadu...obrigado amigo!

ale...tartaruga ninja tb era loko...power ranger nem tanto, e de volta futuro 3 legal

30/09/2009 11:23

Joguinho bom, eu jogava ele naqueles friperamas q vc pagava R$0,25 e jogava 10 ou 15 minutos dependendo da máquina ^^

24/10/2009 18:17

Eu curtia esse game. É ounico jogo, pelo q me lembro, c/ cara d cursinho d inglês: Qdo algo era dito no game, aparecia legenda embaixo

02/12/2009 20:34

cara ese jogo me lembra os tempos de que eu ficava nos fliperamas kk nao comia, nao dormia nao fazia nada so jogava kkk lembro qu era louco pra salvar este game duas veses so com uma ficha ai qndo consegui fikei ate decepcionado. rsrsr sera q alguem mais tbm zero este game nos arcades? se zerou deve saber o que acontece qndo zera 2 veses cm uma ficha só.

Postar um comentário

comentários: