7 de fev de 2011

Sega Mega Hits Bombox: Especial

Categories:

Sega Mega Hits Bombox


Bruno Young Gamer Master Higgins
A caminho de minha primeira matéria aqui no blog, venho apresentar-lhes o Sega Mega Hits Bombox. Como meu amigo Zir0 disse - Comparado com o Super Nintendo, gosto mais das músicas do Mega Drive porque seu grave, é o bicho!! -, e claro, concordo fortemente com ele.
Nesse primeiro Mega Classic Hits, estarei mostrando as melhores “musiquinhas” feitas exclusivamente para o sistema, ou seja, de autoria pela própria SEGA.
Esse Classic Hits consistirá em um “Top 10” que estarei elegendo as melhores músicas a partir de minhas próprias ideias, claro, tenho que conhecer a maioria dos jogos para não esquecer nenhum. Dependendo do sucesso deste post, mensalmente irei fazer um Classic Hits, com assuntos diferentes e sugestões aceitas pelos amigos do blog. Vamos direto ao assunto e, ouvir acompanhado de uma limonada agora, cairia bem viu, porque o negócio aqui, vai demorar horas. (risos).


"Não há como negar isso... o melhor jogo de estratégia já feito para um console! E não sou tão fã mesmo de jogos de estratégia..."

Começando por um jogo um pouco desconhecido na vida de alguns Sega-Maníacos, fiquei um pouco surpreso de saber que o Jackie também não o conhecia, e olha que ele possui vários jogos para o sistema.
Gain Ground foi desenvolvido pela Inovation para o Genesis, somente. Nunca atingindo metade de seu merecido elogio e sem a devida comercialização, este título foi imprevisto durante anos. Somente de uns anos pra cá, é que alguns jogadores descobriram sua grandeza, um deles sou eu mesmo e estou aqui para deixar o seu esplendor, uma experiência mágica. Gain Ground se trata de um jogo de estratégia onde você terá que guiar vários personagens selecionáveis para derrotarem o clã do mal. Cada personagem conta com seu estilo de batalha definido são exemplos arqueiros, lançadores, atiradores de elite e etc., e ainda, cada um com sua habilidade especial também. Toda a magia desse jogo está sim em jogar em cooperativa com um amigo, não existe experiência melhor, (claro que existe, é só um modo de falar) chega a ser tão bom jogar com duas pessoas que é perigoso você adormecer com sua “bunda” no sofá, depois de uma primeira vez jogando, confesso que é perigoso acontecer isso mesmo. Cada turno consiste em apenas matar os inimigos que você for encontrando pela frente, mas acha que isso é bem simples? Está totalmente enganado, cada estágio exige um pouco, ou até muito raciocínio, por exemplo, chegando a certo estágio, existem inimigos que ficam em cima de umas montanhas, ou seja, você irá precisar de um arqueiro ou um lançador, para sim conseguir acabar com a vida dele. Confesso que não sou tão fã assim de jogos de estratégia, mas Gain Ground e a série Robot Tensei, merecem meu respeito.




“Confesso à vocês que a primeira vez que joguei esse jogo, me senti pela primeira vez que jogos seria minha vida...”

Em 9º lugar, um jogo que não é nem um pouco desconhecido, mas sim lembrado na cabeça daqueles que souberam aproveitar essa pérola em sua grande época.
Golden Axe é um jogo eletrônico da SEGA, originalmente criado para Arcades, mas que também foi lançado para os videogames Master System e mega Drive, bem como para todas as plataformas imagináveis, sejam elas consoles ou microcomputadores, todas as versões trazem o mesmo enredo, com diferenças contextualizadas em razão da capacidade do hardware de cada sistema.. O jogo teve duas continuações: Golden Axe II e Golden Axe III, porém, a saga do "Golden Axe" nasceu no jogo do Master System chamado Golden Axe Warrior, de quase nenhum sucesso. Controlando Ax Battler, the Barbarian, Tyris Flare, the Amazon e Gillius ThunderHead, the Dwar você irá conduzí-los a cenários e animações, estilo Conan derrotando inimigos até chegar ao seu destino final, o castelo de Death Adder para resgatar o rei e a rainha, no melhor estilo de beat’n UP. Os três personagens têm as qualidades de luta e magia balanceadas: Tyris Flare é a menos habilidosa na luta, porém possui a magia mais forte; Gilius Thunderhead é o guerreiro mais eficiente, porém sua magia é fraca; Ax Battler é um lutador mediano e sua magia é mais fraca do que a de Tyris Flare, porém mais forte do que a de Gilius Thunderhead.




“Nunca tinha gostado dessa “tralha”, mas com o tempo, TUDO vai ganhando seu valor...”

Um simples jogo de corrida de motos que aos olhos de quem o vê sem nenhuma perspectiva, é a pior coisa que já lhe apareceu, mas, um simples grande jogo de corrida entre motos que aos olhos sábios de quem vê, desfruta do melhor jogo do gênero.

Super Hang-On é um jogo de corrida de motos lançado para o Mega Drive em 1989. O jogo é uma evolução de Hang On, outro jogo de corrida de motos lançado no antigo sistema caseiro Master System em 1985. Super Hang-On foi originalmente lançado para a versão arcade em 1988, fazendo relativo sucesso nos centros de entreterimento. A versão lançada para Mega Drive possui, além do modo arcade, o modo "original", onde o jogador é convidado a participar de uma competição de rachas contra vários pilotos de moto, em sete circuitos de grau de dificuldades variadas. Super Hang On fez parte da primeira geração de jogos lançados para a plataforma 16-bit da Sega, da qual fizeram parte também jogos como Super Thunder Blade, Alex Kidd In The Enchanted Castle, Space Harrier II e Altered Beast, entre outros. Os estágios no qual se passa o jogo são, África (Begginer) composto por 6 estágios, Ásia (Junior), composta 10 estágios, América (Senior) composta por 14 estágios e finalmente a área de maior território do planeta, Europa (Expert) com 18 estágios, na minha opnião, cada um mais difícil que o outro. Grande jogo que não pode faltar para qualquer fã de Mega Drive.




“Se existe um jogo que supera Tetris, ele se chama Columns...”

Um jogo que não tem muito a mostrar, mas em compensação, tem muito divertir, um jogo que pode viciar e que pode se tornar pior que drogas, seu nome, “Columns”.
Columns jogo criado pela Sega lançado para quase todos os seus sistemas. A primeira versão foi lançada em 1990. Trata-se de um quebra-cabeça, similar a Tetris, mas, com jóias. Fileiras de 3 jóias vão caindo em um painel, e o jogador deve arrumá-las de modo a juntar fileiras de ao menos 3 jóias iguais na vertical, horizontal ou diagonal, de modo que estas fileiras desapareçam, evitando que o painel fique cheio. Tudo que tenho a dizer é que se não tem nada a fazer, arrume logo um jeito de jogar Columns, e depois me fale o que achou. Definitivamente falo isso com 100% de certeza, Columns é com certeza, mas viciante que Tetris.


“O percussor que levou a SEGA além de sua época”





Sem sombra de dúvidas, um dos jogos mais bem falados de todos os tempos, com uma trama rica e envolvente, The Revenge of Shinobi ficará pra sempre sempre em nossas memórias. Sinceramnete, tudo o que posso dizer é, ESSE JOGO É O MELHOR JOGO DO ESTILO JÁ FEITO PELA SEGA.
The Revenge of Shinobi é um jogo de ação em 2D lançando pela Sega em 1989, continuação de Shinobi, lançado para o Master System. Você se encarna (ui!) na pele de Joe Musashi, que começou a estudar os segredos da arte ninja desde criança. Como em qualquer história japonesa, ele começou fraco, claro, não teria como ele já ter nascido todo fodão e já ter matado 1000 pessoas, continuando, começou fraco e era facilmente vencido por qualquer um no dojo em que estudava. Com isso, Joe se esforça cada dia mais e determinado, começa a treinar feito louco, se empenhou muito para no final se tornar o melhor. Eis que com seu esforço, seu mestre então resolve lhe ensinar as mais poderosas das técnicas ninjas, a arte da invisibilidade e o Ninjitsu, Joe Musashi agora é um mestre ninja, suas mão e pernas agora são armas motíferas, qualquer um que cruzar seu caminho, é “lata”! Simplesmente o melhor jogo do estilo já criado em todo o mundo, mas a versão de PlayStation 2, acabou com a fama do jogo, pessoalzinho FDP, é só ver que o Ninja Gaiden deu certo, que eles também tenatm o mesmo feito, mas nunca, um ninja parrudão, irá perder para um ninja de cachecol, manchou o nome Shinobi, que lástima!





“Sim, ele é 1000 vezes superior a Final Fight”


A magia toda desse game, se resumi apenas em jogar de multiplayer, depois disso, pode saber que você ganhará um poltrona no céu!
Streets of Rage é um jogo desenvolvido pela SEGA para o Mega drive, com conversões também para Master System e Game Gear. O jogo conta a história de três jovens policiais, Axel Stone, Adam Hunter e Blaze Fielding, que resolvem acabar com uma organização criminosa, liderada por Mr. X, que liderou a cidade, até mesmo a lei. Rejeitados, os três heróis resolvem agir por conta própria, e acabar com os planos de Mr. X. Passando por vários cenários inteligentes e enfrentando chefes que ocupam quase metade da tela, você nem se da conta do tempo passando, ainda mais, se estiver jogando om um amigo, o perigo maior, é não se dar conta de sua mãe chamando para você tomar banho ou te chamando para você ir almoçar ou jantar, mas é assim mesmo, se você prestar bastante atenção em sua trilha, aí confesso, você irá ficar horas zerando esse incrível jogo, que claro, é “trocentas” vezes melhor que Final Fight.


“Se você não é um rapper, sorte sua, mas, mas tenho que confessar que esse rap, foi o único que já gostei em minha vida.”

Queria que existisse nos dias de hoje, jogos assim, que cativam as pessoas e que façam as pessoas se envolverem com seu enredo, claro que existe, mas como todos sabem, o que está faltando, é aquela pitada de diversão, como tinha nos anos 80 e 90!
ToeJam & Earl é um jogo de video-game que foi lançado em 1991 pela Sega para Mega Drive. Característico por seus dois personagens extra terrestres de um planeta chamado Funkotron, que acidentalmente caem na Terra depois de terem colidido sua Nave Espacial com um meteorito. O jogo consiste apenas em controlar o personagem através de diversos desafios a procura das peças de sua nave espacial Funkotronic, enquanto acerta terráqueos com tomates. Durante o jogo, o jogador pode também coletar caixas de presentes com itens especiais.
Toejam é um alienígena vermelho magracila de três pernas, com olhos de caracol e que usa uma enorme corrente de ouro, marca de um rapper de verdade. Earl é um aliénigena obeso que usa óculos de sol e bermuda azul com bolinhas vermelhas e ainda vira e mexe está caindo. O enredo do jogo começa com ToeJam & Earl cruzando as estrelas em sua nave espacial, quando ToeJam decide deixar Earl dirigir. Em conseqüência, a dupla cai na Terra e sua nave espacial quebra em dez peças. Eles precisam encontrar por estas peças novamente e remontar sua nave espacial para voltar para o seu lar, o planeta Funkotron. Para isso, eles tem de enfrentar uma variedade de terráqueos em seu caminho, tais como o dentista insano, a compradora maluca, os nerds, a caixa de correio monstro, a dançarina de hula, o cupido estúpido, um fantasma do caminhão de sorvete e etc. Tudo o que posso dizer é que, se você ainda não jogou esse jogo, não sabe o quão sua vida não valeu nada!!! Dê logo um jeito de jogá-lo imediatamente!!


Os Três mais apartir de agora!!
“Somente uma coisa a declarar, as vezes uma seqüência nunca da certo, mas a Sega sabia o que fazia naquela época e GRAÇAS A DEUS, ela lançou Sonic 2”
Nada a declarar, inexplicavelmente, O MELHOR.

Como disse acima, quase nunca uma seqüência deu certo, hoje, isso só deu certo mesmo com a Sony com seu God of War, a Nintendo com seu Super Mario Galaxy e a Microsoft com seu Halo... Os grandes de cada empresa, mas hoje em dia, não vemos muitas seqüências fieis à anterior, como víamos antes com a SEGA. Grande parte de suas seqüências eram extremamente boas, como Shinobi, Streets of Rage, Golden Axe, Phantasy Star, e SONIC. A marca registrada da GRANDE empresa de jogos que praticamente soube tentar reinar em sua época, mas a Nintendo, ainda tinha seu SNES firme e forte na briga.

Sonic the HedGehog 2 se difere de seu antecessor, principalmente no fato de não ter sido desenvolvido pelo Sonic Team, mas por uma divisão norte-americana da Sega, o Sega Techinical Institute. Mas os programadores do primeiro Sonic, Yuji Naka e Hirokazu Yasuhara viajaram para os EUA para trabalhar no jogo. Tails nasceu a partir de um concurso interno ganhando batizado inicialmente então como Miles, mas o resto do time quis batizá-lo de Tails, Mas Yasushi Yamagushi foi teimoso, e então Tails começou a ser chamado então de Miles Tails Prower.
Historia
Enquanto viajava em seu avião, o Tornado, Sonic faz um pouso forçado em West Side Island. Depois de alguns dias, ele percebe que está sendo seguido, por uma raposa de duas caudas. Ele tenta fugir correndo, mas o sujeito gira suas caudas como um helicóptero para alcançar o ouriço. Sonic se impressiona com a habilidade da raposa, e deixa ele juntar-se. Ele se apresenta como Miles Prower, mais conhecido como Tails. Alguns dias depois, Sonic e Tails ouvem uma explosão no centro da ilha. A grande floresta fora destruída e robôs cercavam a área. Sonic sabia o que era: o Dr. Robotnik estava de volta, e resolveu usar o poder das Esmeraldas do Caos novamente, para propulsionar o Ovo da Morte, uma estação especial do tamanho de uma lua. Sonic e Tails partem para localizar as esmeraldas antes de Robotnik.

Jogabilidade
A jogabilidade continua a mesma de Sonic níveis em que se tem atravessar em menos de 10 minutos. No caminho, robôs são enfrentados e anéis são coletados. Sonic ganha um novo movimento: o Spin Dash, que permite a ele acelerar sem sair do lugar (botão para baixo + pulo), os níveis tem 2 "atos" ao invés dos 3 de Sonic 1 (exceto por Metropolis Zone) e ativando os postes-checkpoint com 50 anéis no mínimo, pode-se abrir o caminho para os estágios especiais.
Graficos
Estes são definitivamente os melhores aspectos do jogo. Os desenvolvedores sabiam que Sonic havia saltado para a fama, então, tinham que fazer um visual brilhante, se não poderia acabar com a fama de Sonic, assim como aconteceu com nosso velho amigo Alex, discanse em paz. Os estágios dão aquelas lágrimas nos olhos de tão lindos que são, as palmeiras e gramas com um toque brilhante agradável e contagiante nos estágios de planície. O lago tóxico roxo brilhante que banha o segundo estágio é um espetáculo para ser visto, e cada nível tem a sua característica semelhante peculiar. O estágio preferido de quase todos os fãs é concerteza o terceiro estágio, que é uma mistura de vegetação baixa agradável, rústico (e frágil) loop-loops, ruínas antigas de mármore, e lúcido. Gráficos dignos de Sonic, quero dizer, Sonic dos anos 90.
Efeitos Sonoros

A música complementa perfeitamente os gráficos, especialmente para os níveis. O estágio das Ruínas tem um som rústico, quase melancólico, que acrescenta muito para o seu ambiente (isso me lembra a música do estágio Marble Zone do primeiro Sonic). Você poderia corresponder a cada estágio para a sua música. Já a primeira vista do jogo, você já se depara com o feliz ritmo acelerado no primeiro estágio, uma música techno, concerteza minha música favorita, e outras faixas variadas acompanhar Sonic e Tails em suas aventuras. A melodia ao encontro de Dr. Robotinik ainda é mesma do primeiro Sonic, só que mais eletrizada.

Estagios
· Emerald Hill Zone: Campo gramado, similar à Green Hill Zone do primeiro Sonic, com uma floresta de coqueiros com várias cachoeiras. Um dos motivos para o nome pode ser pela possibilidade de se obter as 7 esmeraldas do Chaos nos dois primeiros atos. Chefe: Robotnik dentro de um veículo com uma "furadeira" na frente. Não é difícil, quando acertado sete vezes, Robotnik lança a "furadeira".
· Chemical Plant Zone: Um campo industrial, com água poluída com um produto de nome "Mega Mack". Tubos, descidas e loopings fazem você correr pela fase, fazendo que o jogador tenha que tomar um certo cuidado. Chefe: Robotnik usa uma máquina que pega um balde de água tóxica e tenta jogar em Sonic. Para piorar, o chão inverte e Sonic pode cair. Curiosamente, caso o personagem fique abaixado, o líquido não causa dano.
· Aquatic Ruin Zone: Ruínas, com muitas partes subaquáticas e pilares que soltam flechas. Diferente da fase anterior, é possível pegar fôlego através de bolhas de ar. Existem dois caminhos - por cima, em terra e por baixo, na água. Chefe: Dois totens aparecem nos dois cantos da tela e Robotnik está voando, dando marretadas em cima dos totens que soltam flechas em uma das quatro partes. A flecha atingirá o outro totem e ficará pendurada, então Sonic deve subir em cima da flecha (Do Segundo ao quarto andar do totem), subir em cima do totem e atingir Robotnik.
· Casino Night Zone: Uma mistura de cassino (com direito à caça-níqueis) e pinball. Existe muitos rebatores e bumpers, e é noturna, similar a Spring Yard de Sonic 1. Chefe: Robotnik aparece com uma máquina que solta eletricidade por baixo, similar a uma máquina de choque, e se Sonic estiver abaixo de Robotnik, ele lançará uma bomba. Tente não ficar muito no chão, pois a bomba pode atingir Sonic.
· Hill Top Zone: Uma montanha, com partes cheias de lava, teliféricos e gangorras(como do jogo primeiro jogo do Sonic na Star Light Zone). Curiosamente, a fase segue o mesmo esquema de paleta da Emerald Hill, apenas mudando a cor da terra de marrom para azul. Chefe: Na fase há dois vãos com lava, e desses vãos aparecerá Robotnik lançando fogo. Se Robotnik não lhe atingir, a grama onde Robotnik lançou pegará fogo.
· Mystic Cave Zone: Uma caverna escura, com muitas armadilhas, pontes elevadiças e plataformas que se partem ao se pisarem. É uma fase com muitos badnicks e é longa, sendo uma das mais difíceis do jogo . Chefe: Primeiro, acontecerá um terremoto que fará com que caia pedras que não podem atingir Sonic. Após o terremoto Robotnik aparecerá em uma máquina que faz túneis, semelhante a uma escavadeira. Você deve atingir Robotnik o máximo possível antes que ele cave um buraco que causará terremoto outra vez.
· Oil Ocean Zone: Um campo petrolífero,um pouquinho parecido com a segunda fase. Onde o óleo fica todo no fundo da fase, podendo ficar pulando sobre ele. A tela toda é praticamente em grandes plataformas, e o óleo que fica por onde os personagens andam que fazem-nos escorregar. Chefe: Uma parte com dois vãos de petróleo. De um desses vãos sairá uma espécie de "cobra mecânica" indo na direção de Sonic para atingí-lo; Depois aparecerá um dispositivo que soltará três raios Laser na direção de Sonic. Após isso, aparecerá Robotnik em um submarino em um dos vãos e começará tudo de novo. Seja esperto, pois Robotnik ao aparecer, ele descerá imediatamente.
· Metropolis Zone: Uma fábrica, cheia de engrenagens e parafusos gigantes e lava no fundo da fase. Os inimigos são centrados em ataques á distância (soltam lâminas ou garras ou explodem)e a única fase que contém 3 atos. Chefe: Robotnik aparecerá do céu com oito "esferas" girando em volta dele. Este chefe é muito difícil, pois as esferas protegem Robotnik e às vezes você poderá atingir as esferas ao invés de Robotnik e você perderá os anéis. As esferas ainda se afastam e voltam para perto de Robotnik e tal qual se move por todas as adversidades. A cada vez que Sonic atinge Robotnik, uma esfera desapareçe.
· Sky Chase Zone: É uma fase de transição. Nesse estágio, Sonic está sobre o Tornado (pilotado por Tails), e é atacado pelos robôs voadores de Robotnik. Embora esteja em uma parte mais avançada do jogo, a fase é fácil. Caso você esteja jogando com Tails, Sonic será o piloto do avião.
· Wing Fortress Zone: Uma fortaleza aérea, com Sonic sozinho (o Tornado quebra quando é atacado no começo). Tem apenas um ato e um chefe. A fase é curta, com vários badnicks que atacam de longe e muitas armadilhas existem. Chefe: Robotnik está protegido por uma barreira, controlando um aparelho no teto que se move e solta grandes raios lasers. Para atingir tal aparelho, Sonic deverá subir em gangorras giratórias para chegar mais perto do aparelho e atingí-lo, mas cuidado: abaixo das gangorras há espinhos.
· Death Egg Zone: Sonic chega na estação espacial de Robotnik (paródia da Estrela da Morte da série Star Wars), onde enfrenta Silver Sonic e Robotnik dentro de um imenso robô, o Egg Ellimination. A fase é sem anéis.
· Special Stages: Alcançados ao atravessar um dos checkpoints com 50 anéis. São túneis em 3D no qual Sonic e Tails tem de pegar anéis, passando por bombas. Um estágio contêm três partes - Após passar por uma, é necessária uma maior quantidade de rings para passar pela outra. Ao passar da última, se ganha uma Esmeralda do Caos. Com as sete, se Sonic conseguir 50 anéis pode-se tornar Super Sonic, mas cuidado, o Super Sonic é ativado com apenas um pulo então várias vezes durante o jogo você poderá se transformar acidentalmente.
Conclusao

Definitivamente, é o jogo de Mega Drive que pra quem contém um, é essêncial ter pelo menos a fita loose, mas para que é muito exigente uma cópia completa, é linda demais!!!





“A Sega sabia mesmo fazer as melhores continuações de seus melhores jogos, pena que isso não se repete hoje em dia”
O melhor beat’ n UP que levou a Sega ao extremo, como espéravamos que a SEGA lançaria algo tão bom assim ?
Streets of Rage 2 é um jogo desenvolvido pela Sega, criado no ano de 1992 para o console Mega Drive Seguindo seu estilo 2D, porém a qualidade gráfica está bastante melhorada, com um estilo totalmente novo de desenho tanto de personagens quanto das fases em si. Os chefes, estão mais bem desenvolvidos, e toda vez que se toca no inimigo, informa qual é a energia dele, seu nome, sua foto, e se tiver mais de uma vida aparecerá marcado na frente da sua barra. A trilha sonora continua bem desenvolvida, pelo músico Yuzo Koshiro, o mesmo que desenvolveu a trilha sonora do primeiro Streets of Rage.

Historia
Streets of Rage 2 é a continuação de seu antecessor, Streets of Rage, sendo que seu enredo basicamente conta que no passado os jovens ex-policiais Axel Stone, Adam Hunter e Blaze Fielding comemoravam a vitória contra o sindicato criminoso, após um ano de sua queda.
Axel virou guarda costas e Blaze agora trabalha como professora de dança, porém Adam resolve se juntar novamente a polícia e passa a morar numa pequena casa junto com seu irmão mais novo.
Um dia Axel recebe um telefonema desesperado de Eddie "Skate" Hunter (também conhecido como Eddie "Sammy" Hunter) dizendo que ao chegar na pequena casa, ela estava toda revirada e destruída.
O desaparecimento de Adam marca o começo do pesadelo, em poucos dias o sindicato estava de volta ás ruas, agora totalmente renovoados e com muitos novos lutadores criminosos, desde ninjas armados até mesmo motociclistas que arremessam bombas.
Axel contacta Max, seu velho amigo; Blaze e Sammy(Skate), e decidem se unir para destruir novamente a organização criminal do sindicato, resgatar Adam e restabelecer a ordem e a paz.

Jogabilidade
Streets of Rage 2 tem uma jogabilidade bastante expandida em relação ao seu antecessor. é possível realizar mais de um tipo de voadora e utilizar um super golpe, ativado apertando duas vezes para qualquer e o botão de soco. Com o botão de especial é possível efetuar um especial parado , e apertando para frente mais o especial, efetua um segundo especial.
Cada fase possui um chefe no final, variando entre lutadores, homens que voam com um jetpack nas costas, guerreiro com garras, e uma variedade de chefes, todos agora identificados com o respectivos nomes.
Até mesmo as variações coloridas de inimigos e chefes, recebem, novos nomes, como se fossem na verdade guerreiros diferentes e não variações.
Graficos
Os gráficos ficaram 1000 vezes melhor em relação ao original. Os personagens agora são maiores e também bem detalhados, você pode ver seus rostos muito bem, e sua taxa de quadros é bem maior e percebível. O jogo agora se aparenta a Final Fight, por conter tons mais escuros, parecendo muito com Final Fight. O plano de fundo especialmente, em vez do fundo luminoso de prédios antigos, agora são horizontes “maravilhindos” de Nova York, agora os cenários ganharam mais nitidez e definição. Os gráficos globais neste jogo foram surpreendentes, e eu não podia pedir melhor no momento, os gráficos aqui foram os melhores da série., para Mega Drive, claro!
Efeitos sonoros
Uma trilha sonora maravilhosa que combina perfeitamente com o game original. Algumas das músicas foram apenas as importações a partir do original, enquanto outras partes, foram melhorado muito. Algumas das músicas foram remixes e algumas batidas mais escuras mais leves foram adicionadas. A abertura deles é semelhante à versão original, pois é também apenas um remix. Os efeitos sonoros foram muito bem encrementados, dessa vez, Yuzo deu o melhor de si criando os temas musicais desse jogo, um belo trabalho de dar inveja. Para muitos, as música do Mega Drive geralmente não são tão boas, mas sinceramente, as músicas desse jogo merece respeito!
Conclusao
Este é e sempre será um jogo fabuloso e traz alegria para a mente de todos aqueles que tiveram a oportunidade de experimentá-lo. Este é verdadeiramente um clássico do Mega Drive que muitos apreciaram. O fator diversão neste jogo foi bastante elevado, embora de fácil vencê-lo foi muito divertido de jogar de novo. Esse, é outro jogo que qualquer fã de Mega drive tem que ter em sua coleção, eu ainda não tenho. (se lamentando)

O Ouro vai Para...
“O que falar de um jogo que nasceu para ser o melhor, pra falar a verdade, Mario perto do Sonic (dos anos 90), era Monster Rancher tentando ser Pokemon.”
Em sua época de ouro, Sonic soube abusar de seus melhores recursos, que para época, eram considerados quase que impossíveis ainda, com a grande magia dos arcades nas lojas, com as famosas locadoras, tudo ficava ainda mais divertido, estou falando isso, mas não presenciei nada do que era bom de verdade, por ainda ser muito novo, só vim a conhecer um videogame em uma festa de aniversário de um colega, que nem me lembro mais o nome quando ainda morava em São Paulo, e adivinhem com que topei a primeira vez???? (risos)
A Franquia
A Série Sonic the Hedgehog é um franquia de videojogos criado pela Sega e protagonizada pela sua mascote Sonic the Hedgehog. Esta série começou em 1991 com o lançamento de Sonic the Hedgehog para a Sega Mega Drive. Uma versão 8-bits do jogo foi também lançada para a Master System e Game Gear. Sonic foi responsável por ter sozinho mudado a guerra de consoles 16-bit, e o seu primeiro jogo substituiu rapidamente Altered Beast como jogo de lançamento para a Mega Drive na América do Norte e Europa. Até Maio de 2006, esta franquia vendeu mais de 44 milhões de unidades, tendo já vários jogos esperados para sair no segundo semestre de 2006.
Os jogos da série são geralmente desenvolvidos pela Sonic Team, com a excepção de alguns spinoffs que foram desenvolvidos independentemente pela Sega of America. O principal programador do primeiro jogo foi Yuji Naka, que se iria tornar mais tarde o chefe da divisão Sonic Team, e o planeador do jogo foi Hirokazu Yasuhara. A música dos dois primeiros jogos Sonic the Hedgehog para a Mega Drive foi criada por Masato Nakamura da banda japonesa Dreams Come True.
Historia
Um cientista louco chamado Dr. Robotnik quer dominar o mundo roubando as Esmeraldas do Caos, e para isso montou uma base na ilha em que Sonic mora, e transformando os animais da ilha em robôs escravos. Sonic não gostou nada disso e resolveu acabar com os planos de Eggman. Especialmente porque as Esmeraldas só podem ser encontradas por Sonic, quando ele entra em uma zona criada por sua velocidade.
Jogabilidade
Jogabilidade muito simples, com o obejetivo de apenas de ir pra frente e matar inimigos, ou claro, escapar deles. O jogo é um típico plataforma, com fases dividido em 3 atos, no qual no terceiro se enfrenta Robotnik como o chefão. O jogo era centrado em 10 minutos.O jogo não salva nem possui passwords; exceto com artimanhas, o jogador tem de jogar direto e recomeçar tudo de novo se acabarem os continue. Mas há algumas inovações: terrenos inclinados e Sonic, por ser um ouriço, podia matar inimigos encolhendo numa bola e "atropelando-os". Uma das únicas coisas que atrapalham, só um pouco mesmo, é quando você está em velocidade total, as vezes é perigoso você “entrar dentro da parede” e morrer automaticamente, mas fora isso, o restanrte responde a todos os comandos que você der.
Graficos
Os gráficos são alguns dos mais complexos da geração 16-bit, com animação em praticamente todo item, e utilizando toda a paleta de cores do Mega Drive. Os personagens foram desenhados por Naoto Ohsima, e os níveis, por Jina Ishiwatari e Reiko Kodama. Legal também, acho que para a época principalmente, quando Sonic fica um certo tempo parado, ele começa a bater interogativamente -os pés no chão, querendo dizer porque diabos você está demorando a continuar seu caminho, certamente, algo brilhante da parte dos desenvolvedores do jogo. Claro, por ser o primeiro jogo da série, não é aquela coisa, mas claro, pelo o que andei pesquisado, opniões dizem que os gráficos impressionaram muito a primeira vista. Concerteza, foi o melhor de sua época!!
Sons
A música de Sonic, considerada clássica pela maioria dos “players”, foi composta por Masato Nakamura, do grupo japonês Dreams Come True (que fez a estréia de Sonic em sua turnê nacional em 1990, ao estampar Sonic no ônibus e distribuiu panfletos). A música foi feita em um computador Atari, com o limite de 4 sons simultâneos.
Nakamura fez a música simultaneamente com um álbum do DCT (tanto que 2 músicas, a de Green Hill Zone e Star Light Zone, viraram músicas do grupo), a partir de ROMs inacabados e descrições das fases por parte dos produtores. Ele quis dar um "tom cinematográfico", com músicas calmas em fases tranquilas, músicas mais intensas na hora das batalhas contra chefes, etc.Nakamura também declarou que é um péssimo jogador, ele pediu a Miwa Yoshida, vocalista do DCT, para jogar Sonic e assim conseguir ouvir seu trabalho.
Estagios
Green Hill Zone
Uma planície gramada, com lagos e chão "xadrez", que se tornaria marca registrada, sendo o padrão para "primeiras fases" da série. É uma fase tão popular que voltou em jogos como Sonic Battle, Sonic Adventure 2, Sonic the Hedgehog 2 versão 8 bits como remake, Sonic Chronicles: The Dark Brotherhood e teve um remake no jogo Sonic Advance 3, como Sunset Hill.
Marble Zone
A Zona do Mármore é ambientada na cultura greco-romana, cheia de caminhos subterrâneos, plataformas móveis, obstáculos, lava e montanhas de calcário.
Spring Yard Zone
Um pátio dentro de um parque, com paredes treliçadas e vários equipamentos de pinball, como molas e flippers, e algumas esferas com espinhos. Fase noturna e nublada.
Labyrinth Zone
Labirinto com cachoeiras (armadilhas), muitas partes com água, sendo a primeira fase com água. Sonic pode ficar 20 segundos submerso até começar uma contagem regressiva (5 respirações em contagem decrescente - 12 segundos) no qual ao fim Sonic se afoga. Pode se salvar saindo da água ou coletando bolhas de ar.
Star Light Zone
Um nivel urbano, com caminhos semelhantes a uma montanha-russa, além de gangorras e ventiladores que dão impulso. Alguns inimigos são indestrutíveis, como bombas que se ativam quando Sonic se aproxima.
Scrap Brain Zone
A cidade-indústria de Robotnik, com perigosas motoserras e blocos giratórios que desaparecem. Há confronto com Robotnik no Ato 2 (no qual ele se esconde num campo de força e foge. Ao final do ato 3, Sonic irá diretamente para a Final Zone.
Final Zone
Dentro de um grande motor, 4 espécies de cápsulas tentam esmagar Sonic, uma delas com o doutor dentro e raios energéticos (faiscas de detonação) são soltos. Sonic não possui um único anel.
Special Stages
Nestas fases especiais, Sonic se transforma em uma bola e rola por um campo cheio de objetos de colisão chamados "bumpers". O objetivo das fases é pegar a Esmeralda do Chaos que se encontra no meio de uma barreira de "cristais", evitando ser jogado para o Goal.
Conclusao
O que irei dizer aqui agora é direto e serve para todos, para quem se diz mesmo fã do Mega Drive. Sinceramente, se você não tem pelo menos uma cópia desse jogo, pelo menos uma “alternetina pirata genérica”, não precisa se dizer fã de Mega Drive, um jogo mais que obrigatório, e sim lei decretada a partir de agora, todo fã de Mega Drive que não conter, pelo menos uma cópia “genérica” de Sonic the HedGehog, pode se considerar encarcerado, vendo relativamente o sol nascer quadrado. (risos)
Sonic é e sempre será o melhor jogo de plataforma, ou mais conhecido como “passar de fase”. Muita gente já deve ter perdido a esperança, mas eu, ainda NÃO!!!! Sonic ainda voltará a reinar supremo e forte, assim como em sua épca de ouro, e irá ser ele novamente, que irá levar a SEGA ao primeiro lugar das paradas de video-games, sonhar não custa nada, mas sonhar com vontade tem sim seu preço, e esse preço se chama REALIZAÇÃO, o que irá acontecer algum dia. Podem ter certeza.

É por aqui que acabo minha primeira, e não única, matéria aqui no blog, sei que vocês irão achar muito erros e faltas de muitas coisas, mas opinem, isso ajuda nós a crescermos cada dia mais!!!! Até mais e, Diversão do Passado, Sempre Presente!! ^^

Compartilhe este artigo

Postagens relacionadas

12 Comentários para Sega Mega Hits Bombox: Especial

07/02/2011 21:53

Bem fraco, mas eu vou melhorar, ^^

jackie chan
08/02/2011 08:49

rapazzzz, tu esrcreveu pra caralho..hehe ficou show brunao, parabens!

é cara, realmente as trilhas sonoras dos jogos de mega drive, sempre foram uma paixão pra min.

e como voce citou, pra min tambem, os tops estao Sonic, streets of rage, toe jam & earl, entre outros....

musicas marcantes que nao da pra esquecer nunca....

parabens meu amigo!

08/02/2011 12:47

Valeu velho Jackie, mas ainda está um fiasco, aguarde pela próxima, essa vai ser boa mesmo!!! ^^

08/02/2011 16:29

Parceria?
http://sonicknucklesblog.blogspot.com/

09/02/2011 00:41

Foi mal cara, mas Final Fight é 10000 vezes melhor que Streets of Rage!!!
Disparado, tanto que os maiores jogadores de briga de rua de todos os tempos estão até destruindo em jogos de luta, como Haggar e Guy, que são de FINAL FIGHT!!!

Agora SONIC ser melhor que MARIO....eu concordo, os jogos do Sonic eh o bicho!!! Pra mim o Sonic perde para o DONKEY KONG COUNTRY, a melhor série de plataforma que já produziram!!!

09/02/2011 08:40

Lucas, discordo de vc....

Final Fight nao chega aos pés de SOR cara...nem fodendo...

O final figth do super nintendo é um lixo pérto da versão arcade....


quanto ao sonic, realmente na era dos 16 bits, pra min o sonic reina absoluto.

mas atualmente, o sonic ta um lixo, e prefiro os marios (mario galaxy, new mario bros)

09/02/2011 14:46

Lucas Believer:

Não tem como cara, Streets of Rage é o melhor, o grande e sempre será, só pela música, personagens, sempre achei a textura do Final Fight um pouco estranha e também, aquele Haggar, quando está anadando ele só mexe mesmo as pernas, da cintura pra cima, fica totalmente colado na tela, sem nenhuma animação, sempre achei isso estranho, non por conta de Streets ser do Mega Drive, mas sim que é uma série que adoro, e gostaria de ver uma versão 4 hoje, para o XBOX Live, mas sei que isso non acontecerá.
O Sonic é sim, o melhor que já joguei de plataforma, nenhum outro chega ao que ele chegou... O Donkey Kong é bom demais, mas chega ser irritante e cansativo demais jogar ele as vezes, méritos para mim, que zerei o Donkey Kong Country 2 duas vezes com 102% e sem o barris DK, sou o melhor nele, eu acho, KKKKKKKKK, mas isso também quando tinha tempo e paciência, hoje acho que nem consigo mais, KKKKKKKKKKKKKKKK

09/02/2011 14:57
Este comentário foi removido pelo autor.
09/02/2011 15:26

Jackie, é verdade, isso sou muito suspeito a dizer, porque realmente Sonic virou um TRASH dos piores, non sei esse Sonic Colors que está vindo aew, mas mesmo assim, non tem mais aquela magia de antes, mas o Mario, nunca acreditei nele, e o pior é que ele ainda reina supremo, tomara que sempre fique assim !! E tem outra coisa, o Mario sempre brilhou, tanto no começo de sua carreira nos arcades, nesse caso ainda non era conhecido, no começo de sua trajetória pelo NES, brilhou de tal forma no SNES e ainda por cima, inaugurou mais um novo gênero no Nintendo 64, confesso que ele emboiolou um pouco no Nintendo 64, mas mesmo assim, é o Mario que mais gostei mesmo de verdade até hoje, nunca vou me esquecer das lembranças em que alugava a fita no sábado e entregava só na segunda, era mágico aquilo e ainda, na época de chuva, adorava aquilo, tinha um charme indiscutível...

10/02/2011 01:31

Discordo de vcs, o SOR 1, os gráficos deles são ruins demais perto do Final Fight. Os movimentos do Haggar e do Cody, e na versão com o Guy e o Haggar, os movimentos tbm ficam bem nítidos. Além da tela ser bem mais detalhada do que no Streets of Rage 1, o Haggar mexia as partes de cima sim, não tanto veloz quanto no SOR 1, mas bem nítido tbm. Outra coisa, a música dos chefes no SOR 1 era sempre igual, enquanto que a do Final Fight não, sempre mudava!!! Pra vc ver, no SOR 2 eles aperfeiçoaram pra caramba, ficando excellente, pois pegaram mais detalhes do Final Fight 1 do que do SOR 1 para melhorarem o jogo!! Tanto que acho ele melhor do que Final Fight 2. E Streets of Rage 3 não supera Final Fight 3 nunca!!! Aqueles especiais eram o bicho!!! Os golpes sem gastar sangue, a velocidade imposta!!!

15/02/2011 09:27

Show de post! Parabéns Bruno!

Estou meio sumido do blog pois minha mãe está enferma e internada para fazer ponte de safena... tenso! Mas se Deus quiser ela vai vencer essa.

Gostei muito do post Bruno, achei bem interessante e completo! Nota 10!

Sobre a questão Final Fight (FF) X Streets of Rage (SOR) acredito que todos tem o direito de discordar e dar sua opinião. Não gosto muito do gráfico do SOR1, prefiro o Final Fight 1 nesse aspecto. A música do SOR1 é excelente. Mas na briga FF x SOR eu considero pessoalmente o SOR2 o melhor de todos. Já tanto o SOR3 quanto o FF3 não me chamam a atenção, só não sei explicar o motivo... Vamos resolver esse negócio então vamos comprar mega drive e super nintendo e jogar SOR e FF (rs). Pros mega-drive-maniacos compre então um sega cd e joguem o FF1-CD (eu já baixei a iso para jogar no meu Sega CD, rsrs).

A propósito, quero fazer uma menção honrosa se não se importar Bruno. Curto muito a música "Magical Sound Shower" do OutRun de Mega Drive: http://www.youtube.com/watch?v=T2li12xWkuw

Abs

15/02/2011 15:17

Giuliano Marconi:

Que isso cara, todos podem opinar aqui e darem suas opniões e críticas, ^^

Essa música do OutRun é foda demais, pena que non foi um TOP 20, se non ela estaria concerteza na lista!!

Valeu Mano Giuliano e non suma non fera!!!

Postar um comentário

comentários: